Formação de leitores – Oficina com Christian Schwartz, na Escola de Escrita

Que futuro pode ter a ficção literária no mundo da pós-verdade?

Se alguma nuvem carregada há no horizonte da prosa de ficção, é a de uma certa demanda identitária sobre seus personagens. Decalcada das chamadas ações afirmativas, sugere um desejo de legislar acerca de quem são – sua etnia, seu gênero, sua classe – as “pessoas” com as quais o romance deve lidar preferencialmente.

Tal demanda costuma vir associada à crítica, esta legítima, de que falta maior diversidade de autores no Brasil, por exemplo. O equívoco é achar que mais romancistas e contistas negras ou gays sejam garantia de mais personagens com essas identidades particulares – ou, pior, exigir isso de quem escreve.

Este curso procura mostrar, com farta ilustração, debates e análises de autores contemporâneos, particularmente brasileiros, que, enquanto ficcionistas de qualquer origem ou extração – se mais diversas, tanto melhor – forem capazes de ocupar o “lugar de escuta” e deixar o “lugar de fala” a seus personagens, mesmo aqueles marcadamente autobiográficos, a ficção sobreviverá.

Christian Schwartz é jornalista e tradutor, tendo vertido para o português brasileiro autores como Jonathan Coe, Nick Hornby, Hanif Kureishi, Graham Greene, Mary Shelley, Philip Pullman, Jeffrey Eugenides, F. Scott Fitzgerald e Nathaniel Hawthorne, entre outros.

Dias 27/8; 3/09; 10/09; 17/09; 24/09; 1/10; 8/10; 15/10; 22/10 (sempre às segundas, das 19 às 21h)

Este curso custa R$504,00.
À vista [5% de desconto via depósito bancário].
A prazo, no boleto [com acréscimo de R$6,00 por boleto].

Inscrições: https://www.escoladeescrita.com.br/curso/formacao-de-leitores-litercultura-2018/ e pelos fones: 41 3114 7100 | 41 99711 7100