O visitante do vazio: Juliano Garcia Pessanha

_DSC4372web

Em Sabedoria do nunca, Ignorância do sempre e certeza do agora, Juliano Garcia Pessanha compôs um universo em que ficção, ensaio, poesia em prosa e fragmento se apresentam como diferentes formas (para além de qualquer formalismo linguístico) de abordar as fraturas existenciais. Com Instabilidade perpétua, essa trilogia integra agora Testemunho transiente – “obra incompleta” (pois a incompletude é o motor da escrita incandescente de Pessanha) deste escritor que também poderia ser descrito como filósofo, não fosse sua recusa da nomeação e de qualquer forma de enclausuramento do ser numa identidade fixa.

Fotos Gilson Camargo