Ficção explícita, identidades ocultas: Jacques Fux e Anna P.

_DSC4638web
Depois de Antiterapias, romance vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura de 2013, Jacques Fux enveredou, em Brochadas, pela história das frustrações sexuais de filósofos, escritores e artistas. Se o humor judaico de Fux satiriza com irônica erudição as próprias experiências (reais ou ficcionais), dando voz a ex-namoradas, no palco do Litercultura ele dialoga com a voz da obscena Anna P. – autora do mais do que explícito Tudo que eu pensei mas não falei na noite passada, que permanecerá fora de cena para ocultar sua identidade.

Fotos Gilson Camargo