Ana Maria Gonçalves – 8/8/2018

Ana Maria Gonçalves nasceu em Minas Gerais, morou em São Paulo, depois Salvador (Itaparica), depois New Orleans, e agora novamente em Salvador. Já foi publicitária (é publicitária de formação), mas quando descobriu a Ilha de Itaparica, onde morou por 5 anos, experimentou outro ritmo, outro tempo, tempo para se forjar como uma ficcionista poderosa no fôlego e no discurso afiado, que eviscera, como faz toda grande literatura, o pouco visto, o pouco sabido, o pouco caso com uma realidade posta à margem pelos sorrisos publicitários e oficiais.

Está conosco neste 8 de agosto a escritora Ana Maria Gonçalves, autora do imenso, em todos os sentidos, romance Um defeito de cor. São quase mil páginas revolvendo a história da escravidão contada e sentida na pele da protagonista. O livro costura fatos e ficção, o que a teoria chama, de um jeito meio assustador, de metaficção historiográfica. Um defeito de cor recebeu o importante prêmio Casa de las Américas em 2006.

Lugar de fala, lugar de escuta. Divergência ou convergência? Ou: divergência e convergência? Com vocês, Ana Maria Gonçalves.

Após a palestra, a mediação do bate papo será de Benedito Costa, que atua como professor na área de língua e de linguagem. Doutor em Literatura, com ênfase na relação entre Literatura e História, faz parte de grupos de pesquisas da área de Direito e Linguagem, é palestrante e escritor com alguns prêmios no currículo, como a Bolsa Funarte para escritores e crítico regular de artes plásticas.

Fotos: Gilson Camargo

Litercultura – Festival Literário de Curitiba 2018
Apoio: Itaú Cultural
Patrocínio:
 Colégio Medianeira
Co-patrocínio: Marcelo Almeida Cultura
Apoio Institucional: Esc – Escola de Escrita, ICAC, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba